CELLULAR BUSINESS INTELLIGENCE , um livro de Paulo Andreoli, ensina a sobreviver no mundo dos negócios

CBI: uma questão de sobrevivência  ( versão em português)

CBI: a matter of survival ( versão em inglês)

Autor: Paulo Andreoli   Prefácio: Raquel Janissek-Muniz

128 páginas Formato: 16×23     Preço de capa: 42,90  Peso: 270 g

Editora: Paulo Andreoli Editor    Distribuição: Sá Editora
Dirigido aos executivos do mercado corporativo e aos profissionais de comunicação em geral, este livro procura responder a uma questão crucial para o mercado das empresas de comunicação: qual será o futuro das agências de Relações Públicas, Comunicação Corporativa mais, quais as perspectivas que podem ser criadas para constantemente integrá-las em um mundo transformado pela revolução digital?

Executivo do mercado brasileiro que alcançou status global, Paulo Andreoli reflete sobre as incessantes mudanças  que a revolução digital vêm trazendo para o setor das comunicações corporativas e propõe a implantação de “células de inteligência”, capazes de determinar uma nova ordem para o fluxo das informações dentro das empresas, de forma a criar uma sinergia mais efetiva e dinâmica entre a Organização e o mercado. Mediadas pelos profissionais de comunicação, essas células funcionariam como verdadeiros “radares” constantemente vasculhando o futuro.

Para elaborar sua proposta, Andreoli bebeu de duas fontes: a primeira, as teses do Bruce H. Lipton, Prêmio Nobel de Biologia, que mostra a capacidade de regeneração das células inteligentes de um organismo; a segunda, as pesquisas dos professores Humbert Lesca e Raquel Janissek-Muniz (Université Pierre Mendés-France, Grenoble),arautos da Inteligência Antecipativa, segundo a qual pontos singulares, deixados de lado pelos previsionistas, podem conter sinais de eventuais rupturas e inovações importantes para uma organização atenta.

A implantação deste modelo inusitado de um núcleo de captação e processamento de informação dentro das corporações que identifique “sinais “fracos” (weak signals) e reorganize o fluxo de informações, nas palavras de  Paulo Andreoli significa “o desafio que se coloca  atualmente para os CEOS e para toda a cadeia de produção organizada; ele poderia ser exemplificado como “termos tido” a capacidade de ter antecipado, em 2007, algo como o Uber ou o iFood”.

E completa: “foi quando compreendi que hoje o desafio dos executivos é antecipar suas ações para o que virá. Impossível? Talvez sim. Mas o primeiro passo é concordar que o planejamento estratégico pode estar sendo feito olhando-se para o retrovisor, para dados conhecidos e projetados para o futuro próximo. E que o difícil é planejar de forma a antecipar as próximas curvas de uma estrada cujo contorno ainda não existe. Meu livro, com certeza vai ajudar nessa tarefa”.